iPhone 5 e o fracasso das profecias de fracasso.

É sempre assim. Mal começam os rumores do lançamento de um novo iPhone e já podemos ver na mídia especializada uma enxurrada de profecias de fracasso. Já se passaram 4 anos desde o lançamento da primeira geração desses aparelhinhos irados e ao contrário de todas as previsões de fracasso realizadas: as vendas só cresceram. Nem mesmo a bem conhecida falha na antena do iPhone 4, mais conhecida como Antennagate, que ocorreu em 2010 foi capaz de abalar as vendas dessa geração do aparelho.

Mesmo assim a mídia especializada não desiste de tentar. Agora que parece certo o lançamento de iPhone 5 as previsões de fracasso já começaram. O blog tekimobile.com saiu na frente com o post: 5 Razões para para que o iPhone seja um fracasso total. Minha experiência pessoal diz que mais uma vez todas as profecias de fracasso estão fadadas ao fracasso. É difícil explicar o magnetismo que existe  no iPhone porque ele é exatamente isso: uma onda magnética. Você não enxerga mas com experimentação e matemática você pode provar que ela existe e o pior: te atrai.




Lembro que poucos meses após o lançamento do iPhone 4, a minha carência na Claro acabou e como eu andava insatisfeito com o meu N97 e muito satisfeito com o meu iPad resolvi que iria me aventurar pela primeira vez no mundo iOS. Porém nessa época você poderia ir a qualquer loja do Claro do Rio que não conseguiria sair com um iPhone em mãos. De todos os vendedores você ouviria a mesma ladainha: - Chegou pela manhã mas já acabou! Quer colocar seu nome aqui numa listinha? Desse modo quando ele chegar eu te ligo. Mas você tem que vir na mesma hora porque eu não vou conseguir segurar muito tempo.

Me recusei a colocar meu nome em fila de espera e ainda por cima desisti do aparelho optando por ficar com o seu oponente direto o Galaxy S que estava até um pouco mais caro que o iPhone. O Galaxy era realmente um excelente aparelho não deixando a desejar exceto em um aspecto: ele não era um iPhone. Como ele possuia um design muito semelhante ao do iPhone das primeiras gerações muitas pessoas confundiam  com um iPhone. Quando me pediam para ver e mexer após uma breve fuçada me devolviam e diziam frustradas:

- Não é um iPhone né?
- Não é mas é tão bom quanto! - eu dizia
- Pensei que fosse um iPhone.

iPhone 3Gs e Sansung Galaxy S - Os design é bem parecido


O que me preocupava é que as pessoas não queriam nem saber no que ele era melhor quando eu dizia que em algumas coisas ele era melhor. Só o que importava era que não era um iPhone.

Vou contar um outro caso pessoal que exemplifica o magnetismo do iPhone.

O que o iPhone tem que ninguém tem?

Mais tarde tarde na minha carreira de colecionador de negociante de bugigangas tecnológicas consegui trocar o meu Galaxy S por um iPhone 4 bloqueado + um iPhone 3G e cheque de 800 reais. Incrível, não é? Mas aconteceu e eu fiquei muito feliz! Curti as minhas iBugigangas por um bom tempo e resolvi que era a hora de retornar ao bom e velho Android. Resolvi me desfazer de tudo: iPhone 4 e iPad. Anunciei os aparelhos no balcão e descobri que uma propriedade forte nesses aparelhos que é muito pouco comentada mas que certamente é marcante na vida de qualquer pessoa que já tentou passar uma iBugiganga pra frente.

Uma coisa que esses aparelhos possuem mais do que qualquer outro que eu já tive e negociei é LIQUIDEZ. Choveu gente interessada em comprar os aparelhos. As propostas mais malucas apareceram no meu email. Gente querendo trocar por X-Box, Macbook Pro e quase todas as propostas ainda tinham um retorno em dinheiro. Mesmo não escondendo que o iPhone estava bloqueado e que era necessário usar um SIM maluco (Geyvei) que só funcionava quando estava de bom humor as pessoas não desanimavam de tentar de ser um novo pai o meu filhinho. No final das contas troquei no teti-a-teti por um Galaxy S, que eu já havia possuído, com um amigo do trabalho e todo mundo ficou satisfeito.

Algumas pessoas ficam com o pé atrás na hora de comprar um iPad ou iPhone por causa das "chatices da Apple". Entenda como "chatices da Apple" os seguintes fatos: a necessidade de sincronização com o iTunes , a falta de acesso ao sistema de arquivos como conhecemos tradicionalmente e o fato de você não poder espetar um pendrive nos bichinhos.

Como conclusão dessa experiência toda tirei a seguinte lição: sempre que um amigo meu está com vontade de ter um iPhone mas fica com receio por conta das "chatices da Apple" eu tenho um bom conselho:

- Tá com vontade comprar um iPhone? Compra! Porque se você não gostar ou não se adaptar vai conseguir trocar pelo aparelho que você quiser e ainda leva um dinheirinho! Pode comprar sem medo, pois entre todos os smartphones existentes no mercado o iPhone ainda é o mais cobiçado e que desvaloriza menos depressa!

Se você leu o post todo deve ter ficado claro mas mesmo assim gostaria de reforçar que esse autor que vos fala não é nenhum fanboy da Apple é somente uma pessoa que tem gosta de experimentar e tem essa experiência para compartilhar. Atualmente sou bem servido por um Nokia N9 e um Galaxy Tab de 7' mas tive momentos fantásticos ao lado do um iPad e de um iPhone 4 e se a grana estivesse sobrando certamente não me desfaria deles para adquirir os outros.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Curtir publicações automaticamente no Facebook. Por que isso não é uma boa idéia?